10 de março de 2017

Na Terra do Nunca



Este “post” bem que poderia começar com “Era uma vez”, como nos contos de fadas em que há sempre uma bruxa que faz mal às criancinhas que se perdem na floresta, ou se transforma noutra pessoa para enganar jovens ingénuas e de coração puro…


Mas nada disso, é somente para mostrar os mini jardins que ontem estivemos a fazer por aqui. Não é que às vezes isto não pareça a Terra do Peter Pan, mas sem Capitão Gancho. Ou uma Ilha de Avalon, agora sem lago, mas onde eu posso ser uma sacerdotisa de volta dos meus caldeirões mágicos. Ou uma floresta encantada (acho que é mais isso, mas nem sempre com encanto), onde as fadinhas se escondem e só ficam visíveis para quem não perdeu a visão de criança e a capacidade de sonhar. 


No fundo das taças, por baixo da terra, levou umas pedrinhas para que a água não faça apodrecer as raízes.

Sem comentários:

Enviar um comentário