20 de fevereiro de 2015

Signo Peixes







Desde ontem que estamos sob as energias do simpático signo de Peixes. É o último signo do Zodíaco e marca o fim do Inverno, no hemisfério Norte, pelo que já deixou para trás a austeridade de Capricórnio e a fixidez de Aquário. Agora é época do degelo e de maior humidade do Ar e da Terra. Já não existe o rigor do Inverno, mas ainda não é Primavera. É uma fase de mudança mas ainda instável. E assim é o nosso amigo Peixito, nadando um pouco ao sabor das marés e esperando pacientemente por épocas melhores.

De elevada sensibilidade, agem muito por intuição e são considerados os esotéricos do Zodíaco.  A sua forte empatia pelos outros tem um senão, por serem tão sensitivos acabam por captar todas as vibrações incluindo as menos boas que se encontram no ambiente à sua volta. Há quem os julgue os coitadinhos e que deprimem por tudo e por nada, mas não é bem assim. Também sabem ser optimistas e bons convivas. E não fosse este signo regido pelo magnânimo Júpiter! Adaptam-se facilmente às variadas situações e ambientes, embora a sua postura aparente ser passiva. A imaginação fértil tem tanto de positivo como negativo, porque bem dirigida pode levar a grandes feitos, mas mal encaminhada pode ser fonte de escapismos, recorrendo muitas vezes a substâncias pouco recomendadas. Quando não se sentem confortáveis, arranjam forma de se evadirem para um mundo só seu, um mundo de sonhos.

Se atribuísse um filme ou série a cada signo, a Peixes seria de certeza “Alice no país das maravilhas”!   

Palavras-chave: Imaginação, compaixão, intuição, dispersão, romantismo, idealismo.

Elemento: Água
Género: Feminino
Modo: Duplo ou Mutável
Regente: Júpiter (em astrologia tradicional, mas Neptuno para os astrólogos que seguem a linha moderna)


19 de fevereiro de 2015

O Ano da Cabra - Astrologia Chinesa

O Cavalo deu lugar à Cabra, que inicia o seu reinado hoje.

O horóscopo chinês vem da terra do Reino do Meio, onde as estrelas nunca se põem.
A astrologia teve uma enorme importância na China antiga e tal como na astrologia ocidental, também eles se guiavam pelas estrelas, planetas e estações do ano. No entanto, e mesmo tratando-se também de doze signos, a atribuição faz-se por anos e não por meses. Cada novo signo inicia com o ano-novo chinês e este tem data variável, começando com a noite de lua nova mais próxima do dia em que o Sol passa pelo 15º grau de Aquário. Complicadinhos, não é? Para nós (ocidentais) o ano começa sempre a 1 de Janeiro e não há cá mais contas a fazer!

2015 é o Ano da Cabra!

Esta é uma Cabra Yin e do Elemento Madeira.
Será um ano mais dedicado à diplomacia e onde impera a generosidade e proteção dos mais fracos e oprimidos. Voluntariado ou trabalho social terá também o seu lugar de destaque e dedicar algum tempo livre a alguma causa é uma boa ideia. Será também um bom ano para dedicar à arte, tenha ela a forma que tiver. Este signo possui uma grande sensibilidade e gosto artístico. É um ano mais calmo que o precedente, o ano do Cavalo. A estratégia mental vence a força bruta. É tempo de fazer as pazes e consertar os laços quebrados!


  Créditos das Imagens:O Sítio de Sempre

18 de fevereiro de 2015

O Entrudo dos matrafões

É este o Carnaval da minha infância, o Carnaval do meu país e que me traz tantas lembranças. Vestia-se as calças e a camisa do pai, engordava-se com umas almofadas, ou então eram as saias e o xaile da avó ou da vizinha e com máscara ou sem ela, lá íamos a criançada em ranchada pelas estradas da aldeia. De casa em casa éramos recebidos com guloseimas e algumas moedas, que no final do dia, felizes, repartíamos em iguais porções por todos!








4 de fevereiro de 2015

Bolachas integrais

Hoje na ida ao supermercado, as bolachas ficaram na prateleira e levei a vontade para casa. Com a vontade e alguns ingredientes fiz bolachinhas integrais que agradaram a todos. Não diria que são muuuiiito saudáveis mas devem ser um pouco mais do que as de compra! ;)

Aqui fica a receita que encontrei na embalagem da farinha "espiga":

350 gr de farinha integral
175 gr de margarina amolecida
300 gr de açúcar amarelo
1 ovo + 1 gema
1 colher de sopa de chocolate em pó
1 colher de sopa de nozes moídas
1 colher de café de sal
Spray para untar

Ligue o forno a 175ºC. Unte o tabuleiro de ir ao forno ( em vez de spray usei margarina e polvilhei com farinha). Bata a margarina com o açúcar até conseguir um creme esbranquiçado. Junte o ovo e a gema e volte a bater (eu usei os 2 ovos inteiros por serem pequenos, caseiros). Adicione os restantes ingredientes. Trabalhe a massa com as mãos até ficar homogénea. Retire pequenas porções de massa, espalme-as com as mãos (ou use um corta massa). Leve ao forno cerca de 15 minutos e deixe-as arrefecer sobre uma rede. 

Bom apetite!




2 de fevereiro de 2015

Reggae e o sono de uma alucinada por letras



Deslizo languidamente por entre os lençóis rosa fofos, com o corpo a pedir descanso e no ar ouvem-se os primeiros acordes de uma música vinda da mesinha de cabeceira do marido. Fico antenada e os dedos dos pés contorcem-se numa dança frenética. Reggae! Ai marido, marido…Como vou eu adormecer, se criei o hábito de anos de silêncio absoluto e escuridão total?! Até te entendo marido, música é tudo de bom e faz um bem danado ao corpo e à alma, mas para dormir??

À segunda música ele já dorme a sono solto, pelo menos a julgar pela respiração. E eu entro num estado de alucinação com palavras a dançarem à minha volta e por cima da minha cabeça. Se é durante a noite que mais inspirada fico, desconfio, que até à última faixa sai um livro completo.

Terceira música.

…e a dança continua.

Quarta música.

…”do you really want to hurt me”…lalala …”do you really…” Este CD é uma caixinha de surpresas. À 1h da manhã a ser teletransportada para plenos anos 80’. Como eu gostava do Boy George e dos Culture Club… (uma pontinha de nostalgia a aproximar-se)

As palavras já ocupam o quarto todo e mesmo de olhos fechados vejo-as vibrantes e eléctricas ali na minha frente, a desfilarem num frenesim doido por todo o espaço. Não me posso esquecer de amanhã (que é hoje) trazer papel e caneta para não as deixar fugir…

…e no meio do meu delírio ouço a voz do marido: “pronto, por hoje já chega. Amanhã há mais!”

Boy George cala-se e ele enlaça-me num abraço sem fim!



Photography by Geraldine Lamanna