2 de fevereiro de 2015

Reggae e o sono de uma alucinada por letras



Deslizo languidamente por entre os lençóis rosa fofos, com o corpo a pedir descanso e no ar ouvem-se os primeiros acordes de uma música vinda da mesinha de cabeceira do marido. Fico antenada e os dedos dos pés contorcem-se numa dança frenética. Reggae! Ai marido, marido…Como vou eu adormecer, se criei o hábito de anos de silêncio absoluto e escuridão total?! Até te entendo marido, música é tudo de bom e faz um bem danado ao corpo e à alma, mas para dormir??

À segunda música ele já dorme a sono solto, pelo menos a julgar pela respiração. E eu entro num estado de alucinação com palavras a dançarem à minha volta e por cima da minha cabeça. Se é durante a noite que mais inspirada fico, desconfio, que até à última faixa sai um livro completo.

Terceira música.

…e a dança continua.

Quarta música.

…”do you really want to hurt me”…lalala …”do you really…” Este CD é uma caixinha de surpresas. À 1h da manhã a ser teletransportada para plenos anos 80’. Como eu gostava do Boy George e dos Culture Club… (uma pontinha de nostalgia a aproximar-se)

As palavras já ocupam o quarto todo e mesmo de olhos fechados vejo-as vibrantes e eléctricas ali na minha frente, a desfilarem num frenesim doido por todo o espaço. Não me posso esquecer de amanhã (que é hoje) trazer papel e caneta para não as deixar fugir…

…e no meio do meu delírio ouço a voz do marido: “pronto, por hoje já chega. Amanhã há mais!”

Boy George cala-se e ele enlaça-me num abraço sem fim!



Photography by Geraldine Lamanna

2 comentários: