19 de março de 2016

Cá para mim...

Imagem via Pinterest
...eles fazem de propósito! Fabricam os computadores de modo a que avariem logo após terminar a garantia. Ligar o portátil, deparar-me com um problema, ir à factura e verificar que o prazo da garantia terminou um mês antes...Dá cá uma raiva! E eu até que sou bem calminha, mas isso dá cabo dos nervos a qualquer um. Depois foi o adiar da resolução do problema. Eu sei, bem à portuguesa, dirão alguns!... Mas aquela caixinha é o meu braço direito (e o esquerdo também). É a minha ferramenta de trabalho e sem ele não consigo partilhar convosco os meus pensamentos e conhecimentos, nem criar os mapas astrais com os quais dou as consultas (conseguir até conseguia, mas é uma trabalheira enorme, coisa de génio ou então de quem não tem mais nada para fazer o resto da vida). O problema está no iniciar e umas vezes à segunda ou terceira tentativa, noutras à vigésima, lá ligava e ficava a funcionar na perfeição. Por vezes já nem o desligava e lá ia contornando a situação, até que, houve um dia em que perdi a conta das vezes que carreguei naquele bendito botão e nem com abanões lá ia.

E é esta a história do meu portátil que foi para o arranjo sem prazo de volta e do qual só sei que há qualquer coisa com a placa gráfica e provavelmente mais umas coisitas... Bem, até tenho medo de saber a conta final!

Já não se fazem computadores como antigamente, podiam ser espaçosos e lentos como o caracol, mas duravam uma vida!

Volta meu querido portátil, estás perdoado!





ps. a imagem é puramente ilustrativa, não havendo qualquer alusão à marca...                                                    
                                                                                                                    

8 de março de 2016

"Mulher"











“A mulher não é só casa
mulher-loiça, mulher-cama
ela é também mulher-asa,
mulher-força, mulher-chama
E é preciso dizer
dessa antiga condição
a mulher soube trazer
a cabeça e o coração
Trouxe a fábrica ao seu lar
e ordenado à cozinha
e impôs a trabalhar
a razão que sempre tinha
Trabalho não só de parto
mas também de construção
para um filho crescer farto
para um filho crescer são
A posse vai-se acabar
no tempo da liberdade
o que importa é saber estar
juntos em pé de igualdade
Desde que as coisas se tornem
naquilo que a gente quer
é igual dizer meu homem
ou dizer minha mulher"


 Poema de José Carlos Ary dos Santos
e fotografia de Eric Kilby


Para todas as mulheres (e homens!) um feliz Dia Internacional da Mulher!