30 de dezembro de 2016

A aldeia do sal...


Num reino distante, certo dia, uma princesa ao dizer ao rei seu pai que lhe queria tanto como ao sal, foi expulsa do reino. Depois de muito andar, foi ter a um castelo onde, ao descobrirem a sua linhagem, a receberam de braços abertos. Sabem como é, nestas coisas há sempre um príncipe casadoiro, que depois de muitos testes à suposta princesa para se certificar da veracidade do seu sangue azul, se apaixona perdidamente e lhe pede a mão em casamento. E assim foi! E convidaram todos os reis e rainhas dos reinos vizinhos e dos não vizinhos, inclusive os pais da (des)afortunada princesa. A noiva encarregou-se de preparar a comida que iria ser servida ao seu pai, com as suas próprias mãos, e não lhe colocou nem um grão de sal. Já quando todos se encontravam à mesa a comer e beber à grande, o dito rei, achando a comida intragável, horrível mesmo, reclamou, praguejou (e vá lá não terem tombado umas quantas cabeças na cozinha)! A princesa sua filha, que até então andava disfarçada, revelou-se e foi aí que o rei percebeu  o porquê dela antes lhe ter dito que lhe queria tanto como ao sal. Há lá alguém que goste de comida insonsa! O rei arrependeu-se de a ter expulsa de casa e depois muitas lágrimas, abraços e pedidos de perdão, a festa lá continuou. E foram todos felizes para sempre!


Das pessoas que conheço, sou aquela que menos sal usa para cozinhar (há que cuidar do coração!), mas uso algum, não faço como a princesa. Procuro é sal de qualidade, 100% natural, feito tradicionalmente e sem recurso a aditivos químicos. Sal branquinho e limpinho, uso, mas para lavar o chão e mandar embora as energias negativas que por algum descuido se tentem instalar aqui em casa.

Aqui tão perto, e só ontem visitei as salinas de Rio Maior pela primeira vez. Foi uma visita rápida de final de tarde e com a aldeia a trabalhar a meio gás, mas valeu a pena. A própria aldeia de casinhas em madeira já é um bonito e autêntico presépio!

Aproveitei e comprei 1 kg de sal!


Sem comentários:

Enviar um comentário