16 de maio de 2016

Physalis



A mãe natureza é maravilhosa! Esta bolinha amarela, linda e saborosa, é fruto do meu pedacinho de verde. Até ao ano passado desconhecia o que eram aquelas “coisas” de aparência seca e sem graça, que via à venda na prateleira das frutas no hipermercado. Um dia prestei mais atenção e reparei que dentro do invólucro de casca seca e fina, tinha uns frutos pequeninos e como sou muito curiosa e adoro fruta e experimentar sabores e consistências novas, trouxe uma cuvete comigo. Comemos os frutos, está claro, mas deixei um de parte que abri ao meio e coloquei a secar.  As sementinhas, já seco o fruto, coloquei-as na terra de um vaso que havia na varanda com um pé de pimpinela. 

Bem, este physalis (ou fisális) tem história, porque quase que era comido pelas nossas galinhas. O marido pensando que as “ervinhas” que nasceram no vaso fossem mesmo ervas daninhas, arrancou-as e deu-as às nossas Marias comilonas (sim, aqui todos os animais têm nome!). Por sorte, vi a tempo e ainda consegui salvar algumas, que transplantei. Hoje, verifico maravilhada, o quanto uma das plantas cresceu e se tornou forte, ocupando já grande parte do canteiro destinado à horta e como tem dado frutos ao longo de todo o ano.

Pelo que andei a ler por aí, trata-se de um fruto muito completo, porque além de ser muito rico em vitaminas A e C, ainda possui aminoácidos e sais minerais, tendo propriedades anti-inflamatórias, anti-oxidantes e que ajuda no combate à diabetes, ao reumatismo, cálculos renais, e muitos outras situações clínicas. E o melhor, é que podem ser comidos de variadíssimas formas, tanto frescos como secos, ao natural, em sumos, juntando a sobremesas ou como acompanhamento… Sinceramente, ainda não experimentei nada disso, porque à medida que vão amadurecendo são logo comidos. Que têm um aspecto muito “fino”, lá isso têm e devem ficar bem a decorar bolos!



Sem comentários:

Enviar um comentário