23 de agosto de 2016

Óbidos

Definitivamente, devo ter mesmo vivido numa outra vida nesta bonita vila. Sábado passado, depois de uma decepcionante chegada à praia, com muito vento e mar agitado, fizemos um desvio nos planos e rumamos em direcção a Óbidos. Para mim, Óbidos é sempre uma boa alternativa, nem que seja para dar uma volta na rua principal e absorver as suas energias. A minha alma agradece e eu venho de lá renovada. Contento-me com tão pouco! J

Quando digo que vivia ali de boa vontade, não é capricho. É um sentimento de alma. É a escolha da minha alma. É que nunca senti isto noutro lugar. Vá lá, em Cannes também me vi a viver lá, mas não é a mesma coisa. Aquela vila medieval portuguesa é o meu lugar de eleição. Talvez conserve ainda memórias de outras épocas nas paredes brancas e as pedras das ruas estejam ainda impregnadas das energias das pessoas que ao longo de séculos e séculos as foram pisando.

Sempre que lá vou, seja em que estação do ano for, haja ou não actividades, a sensação é sempre a mesma, de paz e tranquilidade. É uma vila com memórias, mas também com vida. O passado e presente unem-se para criar uma energia única e muito acima do mundano. Ali, há qualquer coisa de surreal que traz ao de cima o meu lado mais excêntrico. Imagino-me a percorrer as ruas, ou a olhar do alto de uma das suas janelas, vestida com traje celta e flores na cabeça... 
Deve ser um óptimo lugar para fazer meditação!







Sem comentários:

Enviar um comentário