janeiro 16, 2018

E se os planetas fossem pessoas?...


Viajando aos confins do firmamento, dou de caras com o majestoso Sol rodeado de duas belas mulheres, um pouco sisudas é certo, mas não deixam de ser lindas…e femininas. Vestem tailleur de corte impecável mas discreto, de cores sóbrias. Ao primeiro olhar diria que são duas executivas de sucesso, uma ainda em início de carreira, vá… A outra já mais experiente na arte de conquistar um território agreste no mundo dos negócios ou das finanças. Coisas de homens diriam as gerações anteriores. Coisas para quem tem pulso de ferro, dizem elas.

E o Sol, um pouco formal, vai ouvindo as explanações da menina Vénus, enquanto pelo canto do olho aprecia o seu porte direito e esguio. Mal sabe ele que ela é fogo que arde sem se ver. Enquanto isso, a mais velha encavalita os óculos de osso de baleia no nariz aquilino e sob um olhar atento e reprovador, chama a atenção do elemento masculino para as folhas que acabou de retirar de uma pasta. Tem pressa e não há tempo a perder. O táxi que chamou está ali e o taxímetro a contar. Tempo é dinheiro.

(Lua, Sol e Vénus conjuntos no signo de Capricórnio)

No presente temos uma Lua nova de Capricórnio, uma fase propícia a novos empreendimentos e a traçar e estruturar planos para colocar em prática nos próximos tempos. Esta é uma lunação muito “pé no chão” e vence o que for feito com objectividade e praticidade. A Lua Nova sempre traz um renascimento de algo, pelo que pode ser uma boa altura para trazer ao de cima aquilo que ficou por fazer no ano anterior. Aquilo que está no fundo da gaveta, ou na sua mente. É o momento de resolver o que está pendente, ou então comece de novo, mas faça!


                                                                          Fonte de imagem: Pinterest

2 comentários: