6 de julho de 2016

Doce de pitanga


Do meu pedaço de verde, de vez em quanto saem coisas bem deliciosas. Desta feita foi a vez das pitangas terem o papel principal na cozinha da maga. 

1 kg de pitangas (vermelhas e sem caroços)
1/2 kg de açúcar amarelo
a que se junta uma generosa pitada de boas intenções e outra de amor!

Deixa-se tudo na panela até o açúcar ficar líquido e depois vai a lume brando. Eu já disse que os caroços se tiram previamente? É isso mesmo! Essa é a parte mais chata de todo o processo, mas com ajudantes como os meus fez-se num ápice!





Convém ir mexendo para não queimar no fundo e quando ao passar com a colher, fizer estrada, está pronto!

Aqui, esta iguaria dos deuses nunca dura muito tempo (pela pequena quantidade e pela gula dos comensais),mas mesmo assim convém esterilizar os potes de vidro em água a ferver para conservar o doce.




Para meu espanto, quando o fiz pela primeira vez, saiu um doce com a consistência de marmelada e assim tem sido ano após ano, colheita após colheita. O marido gosta dele no pão, já eu, perco-me por uma generosa camada em cima de bolachas. Eu sei, é muito açúcar! Mas o sabor agridoce combina tão bem com uma bolachinha (estas são digestivas). J

A minha pitangueira só pode ser muito especial. Todos os anos nos agracia com duas colheitas de belos frutos e ainda é berço para a filharada de alguns pássaros que fazem do nosso quintal o seu habitat. 

2 comentários: