16 de março de 2015

Cio, uma dor de cabeça!

Esterilizar...
Sim ou Não?
Entre vantagens e desvantagens o prato da balança pendeu para o lado do SIM e as minhas meninas de quatro patas, lá foram ambas de uma só vez fazer a cirurgia, em vésperas do Dia do Animal, isto ainda no ano de 2013.

Como diz o velho ditado: "Em casa de ferreiro espeto de pau!"
Sem observar antecipadamente os céus do momento e escolher o melhor, astrologicamente falando e de acordo com a disponibilidade do veterinário, restou-me apenas esperar uma boa recuperação sem complicações, o que não foi o caso.

À mamã Mia tudo correu às mil maravilhas, mas já a filhota Joaninha não pode dizer o mesmo. Depois de muita água oxigenada, betadine e miminhos as suturas sararam, o tempo passou e para nossa surpresa a mais nova voltou a ter o tão indesejado e desagradável cio (para nós donos)!

Volta ao veterinário e nova cirurgia para remover um suposto resto de ovário que tinha ficado da primeira vez. Tempo de espera. O cio voltou. E agora?

Infelizmente, as gatas de interior passam por este ciclo muitas mais vezes ao longo do ano do que as que andam na rua, devido ao efeito da luz artificial, por isso, quase de dois em dois meses lá temos que “aguentar” com os miados e esfregadelas da dona Joana!
Neste último cio, após 3 noites sem quase pregar olho devido aos intensos miados dia e noite, e muitas pinguinhas (vulgo mijadelas), por tudo o que era sítio no quintal, por dois gatarrões em luta pelo território decidimos fazer-lhes a vontade. A dona Joana foi entregue aos galifões e foi vê-los a fazer a dança do acasalamento. Como é óbvio venceu o mais forte e o preto lá teve os seus momentos de glória e direito ao troféu.

Segundo o veterinário, é impossível que fique grávida. Será? Veremos!
Que não é normal, ai isso não é!

Já alguém viveu situação idêntica depois de esterilização das suas felinas?

Viram bem o ar de entrega da descarada?!
E o amarelo atrás da escada a espreitar!... ;)

Sem comentários:

Enviar um comentário