10 de dezembro de 2014

Ai Morfeu, Morfeu!...


A noite (ou o sono), é muito fértil e rica em imagens que nos surgem sabe-se lá de onde quando nos entregamos nos braços de Morfeu e esta última deixou-me um sorriso e uma interrogação.

Personagens: eu e a minha irmã. Ela a querer surpreender-me. Eu a deixar que ela fizesse algo no meu corpo. Ela não disse o que ia fazer e eu não perguntei. Estava de costas. Finalmente tomei consciência de que o propósito dela estava terminado e interroguei-me…Seria o que estava a pensar? Humm…eu nem gosto de tattoos de asas nas costas. E ela, sim, era mesmo isso. Um par de asas de anjo. E agora? Ficamos a olhar uma para a outra. Já não dava para voltar atrás. Eu a pensar que iria ficar com um par de asas para sempre, e ela que as marcou nas minhas costas com tanto carinho. Pronto, e agora? – Interrogávamo-nos!
E ela num repente (tão próprio dela!): - “Tu nem as vês, as outras pessoas é que as vêem!”

E fica a questão…
O que vêem os outros em mim que eu não vejo?


Fonte de Imagem: Google

4 comentários:

  1. Se calhas és mesmo um anjo...

    e a tatuagem não doeu?? :P

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não senti nada, devia estar anestesiada... :)

      Eliminar
  2. Olá amiga, hoje quero agradecer a Deus pelo dom da sua vida, e desejar a você e sua família
    um feliz e santo Natal, cheio de saúde e alegria!!!
    Que seu coração esteja preparado para receber o Menino Deus!!!
    Um grande abraço, Marie.

    ResponderEliminar