24 de junho de 2017

Alma hippie...


Aqueles 6 ou 7 meses a viver numa roullote num parque de campismo, foram dos mais felizes da minha vida e hoje ao recordar com o marido, acontecimentos e pessoas dessa época, ocorreu-me que é por isso que me apetece tanto ser nómada…

Tínhamos ambos 21 anos, o “sangue na guelra” como dizia o meu saudoso pai e um mundo inteiro para conquistar. Ele vindo das ilhas, mas já com um rol imenso de histórias vividas. Eu, criada na província com toda a liberdade própria desses locais e a cabeça cheia de sonhos. Apaixonados. Ele, mesmo sem canudos, a subir a pulso num organismo público (onde ainda se encontra passados 30 anos). Eu a conquistar também o meu espaço no mercado de trabalho. Ele, à época, guarda do referido parque. Eu, um pouco mais longe a fazer o curso para guardas da psp. Sem medos e com toda a naturalidade típica da nossa geração, arriscámos num crédito para comprar aquela que iria ser a nossa morada nos meses seguintes. Na bagagem levámos pouca coisa. Também não tínhamos muito. Tínhamo-nos um ao outro e era quanto bastava.

Do parque de campismo fizemos a nossa casa e no nosso pequeno mundo couberam todos aqueles que por ali passaram e deixaram marcas na nossa memória e no nosso coração. Uns só de passagem, outros por uma temporada quase tão longa quanto a nossa. Partilharam-se refeições, histórias, momentos em frente à nossa pequena tv a preto e branco. Música. Acordes de viola. Lições de música. Ainda há quem se lembre das nossas lutas corpo-a-corpo. Ele o judoca que era e eu a aplicar o que aprendia com ele e nas aulas do curso.

Foi ali, na roullote, que ele soube que ia ser pai. E foi tempo de começar a procurar uma casa a sério…

Devem ser estes peixinhos que tenho no ascendente que me dão este meu lado hippie e alma de cigana. E esta vontade de pegar no marido e pormo-nos ao caminho…

Um dia ainda vou. Ai se vou!
Mas desta vez quero uma autocaravana! O que achas marido? ;)


                                                                                         Foto : Pinterest

22 comentários:

  1. Que história linda, é lindo quando um casal começa a sua vida a dois, cheios de sonhos, de expectativas, querendo alcançar mais na vida. Para os dois não importa o tamanho da marada, mas quando começa a chegar os herdeiros é preciso de mais espaço, parar a vida em um lugar seguro. Lindo o texto acompanhada de uma imagem sensacional, Maga bjs.

    ResponderEliminar
  2. Linda história é tão lindo começar uma vida a dois o texto é muito lindo e as imagens são maravilhosas beijos sucesso

    ResponderEliminar
  3. Ola, Lindo o texto e uma imagem sensacional.
    E lindo quando se começa uma vida a dois, cheios de sonhos, de expectativas.
    Bjos Sucesso

    ResponderEliminar
  4. ola tudo bem/? tenho tambem essa alma rippie e um medo que supera, gostaria e ter aventrado mais,
    ter sonhado mais .... muito bom viver e deixar marcas . bjsss sucesso.

    ResponderEliminar
  5. Que história envolvente, sonhos, expectativa. Voce escreve de um jeito leve e gostoso. Amei.

    ResponderEliminar
  6. À história realmente me cativou de todos os sentidos, a forma como você escreveu deixou mais envolvente ainda, parabéns

    ResponderEliminar
  7. Caramba, que história linda! Sou doida para por o pé na estrada também e viver grandes aventuras ❤

    ResponderEliminar
  8. Bom dia, como vai? Nossa que linda essa história, fiquei encantada com a forma que você a elaborou. ate por que de certa forma eu me identifiquei com o seu texto por ser um casal com grandes planos. beijos

    ResponderEliminar
  9. Nossa me senti nessa época no seu post. Uma viagem no tempo.Muito bacana essa aventura, parabéns!Adorei o post.

    ResponderEliminar
  10. Olá, tudo bem?

    Que história linda ade vocês, amei como esse encontro de almas aconteceu, e como a alma de vocês pulsava na época nas mesmas direções. Eu sempre considerei que eu tenho uma alma hippie, pois sempre desejei pegar uma mochila, colocar nas costas e sair pelo mundo, parando em cada parque e ar livre. Nunca fiz pelas responsabilidades que a "sociedade" nos impõe. Achei lindo o texto!

    Beijos!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A vontade neste momento é essa, sair por aí com a casa atrás como o caracol... :D Só as responsabilidades e contas para pagar me fazem pensar duas vezes... ;)

      Eliminar
  11. O amor é maravilhoso, e quando é vivido assim de uma forma tão cúmplice, é tudo de bom!Linda a história, amei!
    Bjs (•‿•)

    ResponderEliminar
  12. Que coisa mais amorosa Maga! Adorei a história de vocês. Acho essa alma hippie a coisa mais linda! Vocês tão novos e já inspirados e seguindo a mesma ideia, que coisa mais maravilhosa. Fiquei encantada imaginando as vidas de vocês dois traçadas e a descoberta de uma família maior. Coisa rara <3 parabéns! E acho justo ter uma autocaravana rs

    ResponderEliminar
  13. Quando queremos algo, é assim que tentamos alcançar, um texto bonito, uma história que eu queria viver, quando eu era jovem, eu tinha minha metade hippie. Eu queria um amor hippie, mas ao longo do tempo eu mudei depois de conhecer meu marido.

    ResponderEliminar
  14. Legal demais! Tenho a maior vontade de fazer. Eu e minha família estávamos até programando uma viagem assim para o fim do ano, mas não deu certo...

    ResponderEliminar
  15. Oi!
    O desapego jovem, de quem não tem nada a perder... só o mundo a ganhar!
    Não é uma pena que os anos nos adicione medo? Também trago comigo a vontade de cortar as raízes e sair sem rumo. Espero que ao menos uma de nós o consiga ;)

    ResponderEliminar
  16. Que história linda! Queria ter a oportunidade de sair pelo mundo. Amei essa ideia de alama hippie. Nunca tinha lido nada/nenhum texto parecido.

    ResponderEliminar
  17. Que demais! Adorei a história! Tambem queria ter a oportunidade de conhecer lugares incriveis pelo mundo e curtir com o meu marido! Tambem tenho contade de cair no mundo! Beijos

    ResponderEliminar
  18. Olá! Tudo bom?
    Nossa achei a história muito bacana, acho que tenho uma alma Hippie, sempre levei a minha vida com um toque de desapego, talvez seja pois ainda sou jovem, mas curto esse estilo de vida.
    Beijos.

    ResponderEliminar
  19. Que legal a história de vocês! Super fora do contexto coletivo....e isso me faz repensar se seria preciso mesmo estarmos fincados como árvores num determinado lugar, com um padrão certinho de trabalho e tal. Infelizmente, o mundo capitalista me obriga haha

    ResponderEliminar
  20. Que história bonita! Eu gostava de fazer uma viagem de carro ou de caravana, mas é complicado!
    Parabéns pelo post!

    ResponderEliminar